Noite Europeia dos Investigadores a 30 de setembro de 2016

Atividades científicas, percursos pedestres e entrada na gruta da nascente temporária do Alviela são algumas das propostas para uma noite em que as reservas de água doce vão estar em destaque

 

Dia 30 de setembro comemora-se a Noite Europeia dos Investigadores (NEI), uma iniciativa que visa o convívio informal e educativo entre cientistas e o público. No Centro Ciência Viva do Alviela, a temática é "Água para o futuro", pelo que, entre as 20h00 e a 01h00, desafiamos o público de todas as idades a participar em várias atividades científicas junto à nascente do rio Alviela, uma das mais importantes do país.

 

Visitar a gruta dos Olhos de Água do Alviela na companhia de espeleomergulhadores, atravessar o "canyon" do carso de galochas nos pés e lanternas nas mãos, provar águas minerais naturais de diferentes regiões do país ou degustar produtos regionais ao som de música "made in" Ribatejo são algumas das propostas para uma noite que promete muita ciência e animação.

 

Para este convívio científico contamos com a presença de investigadores de diversas áreas, que nos vão ajudar a perceber como será o futuro das reservas de água doce em Portugal e dos ecossistemas a elas associados. Francisco Amorim (CIBIO - Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos) e Pedro Alves (Plecotus - Estudos Ambientais, Unip Lda) dão-nos a conhecer o importante abrigo de maternidade de morcegos da Lapa da Canada; Pedro Moleiro (CTIC - Centro Tecnológico das Indústrias do Couro) veste a bata do laboratório para nos ajudar a analisar amostras de água recolhidas ao longo do percurso; Luís Magro, Delfim Machado e Ilda Calçada (SPE - Sociedade Portuguesa de Espeleologia) convidam-nos a entrar na gruta da nascente temporária do Alviela para nos apresentarem os equipamentos utilizados no espeleomergulho, os desafios desta atividade e as características geológicas que influenciam o funcionamento das nascentes em regiões calcárias; Carlos Costa Almeida (Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa) alerta-nos para o impacto das alterações climáticas nos reservatórios de água doce subterrânea, um recurso essencial cada vez mais escasso. A Confraria da Água traz-nos uma prova de águas para percebermos as diferenças entre diversas marcas portuguesas de águas minerais naturais, nomeadamente no que respeita à